Associação Nacional das USF apresenta as «7 ameaças e as 7 medidas» para os CSP

A USF-AN (Associação Nacional das USF) anunciou hoje que considera "vital" para a saúde dos portugueses e para o SNS "um novo ciclo na transformação dos cuidados de saúde primários (CSP) ". Desta forma, no dia 7 de julho vai apresentar, nas instalações da Ordem dos Médicos, no Porto, as "7 ameaças e as 7 medidas de que o País precisa e que deverão acontecer no início da nova legislatura política".

Em comunicado, a USF-AN salienta a "ausência de uma verdadeira política de recursos humanos, a ausência de reconhecimento do enfermeiro de família como especialista em saúde familiar, de uma carreira para os secretários clínicos, cuja profissão não é reconhecida e valorizada, a manutenção dos rácios invertidos de Médicos de Família vs. Médicos Hospitalares e a quase nula aposta nas outras profissões de saúde."

A organização representante das USF faz ainda referência a "um Sistema de Informação caótico, incluindo o Registo Nacional de Utentes, falta de integração das aplicações e sem desenvolvimento baseado na governação clínica".



O conteúdo da conferência que a USF-AN organiza dia 7 de julho está, essencialmente, assente na "Declaração de Aveiro". Trata-se de um documento que foi apresentado na sessão de encerramento do 7º Encontro Nacional das USF, que decorreu em Aveiro, e em que os participantes "declaram que assumem o compromisso, perante eles próprios, os seus pares e o país, de fazerem tudo o que estivar ao seu alcance para imaginar, pensar e promover um novo ciclo de transformação dos cuidados de saúde primários em Portugal".

Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda