Associação XXS lança projeto C.A.R.E - Cuidados de Apoio a Recém-nascidos Em risco

A  Associação Portuguesa de Apoio ao Bebé Prematuro (Associação XXS) vai lançar, no dia 19 de março, o projeto C.A.R.E (Cuidados de Apoio a Recém-nascidos Em risco), cujo principal objetivo é prestar cuidados especializados a crianças prematuras e apoiar os seus pais.

O lançamento da iniciativa terá lugar no Auditório do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca, a partir das 10h, e conta com a presença, entre outras individualidades, de Pedro Mota Soares, Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social e Fernando Leal da Costa, Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde.

Este projeto resulta de um protocolo estabelecido com os Ministérios da Saúde e da Solidariedade, do Emprego e da Segurança Social, tendo como parceiro a Secção de Neonatologia da Sociedade Portuguesa de Pediatria. Destina-se “a recém-nascidos prematuros e aos seus pais, que necessitam de uma intervenção especializada, com vista ao desenvolvimento de competências e capacidades que contribuam para a promoção da sua inclusão e cidadania ativas ao longo do desenvolvimento”, sublinha Paula Guerra, da Associação XXS.

Do projeto C.A.R.E fazem parte campanhas de prevenção, divulgação e sensibilização para a prematuridade, ações de formação que favoreçam o desenvolvimento de competências, a melhoria dos espaços para pais nas Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais (UCIN) e o desenvolvimento de projetos-piloto de cuidados especializados centrados no desenvolvimento.

Anualmente nascem cerca de 500 mil bebés prematuros na Europa e 14,9 milhões em todo o Mundo. A prematuridade é responsável por cerca de 73% da mortalidade neonatal, sendo os recém-nascidos com idade gestacional <a 32 semanas e/ou peso <a 1500g os que apresentam maior risco de morte. Por outro lado, os prematuros sobreviventes têm morbilidades diversas que lhes podem provocar sequelas que comprometem a sua saúde e o seu desenvolvimento a médio e longo prazo, tais como problemas de aprendizagem. Neste sentido, a prematuridade é um elemento alarmante e é imprescindível agir no domínio da prevenção e controlo da morbilidade.

O programa pode ser consultado aqui.

Imprimir