Campanha «Mergulho Seguro» alerta para perigo de morte nas praias e piscinas

Ao longo dos meses de agosto e setembro está a decorrer, em mais de 100 praias do país, uma campanha da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia, realizada em parceria com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. Intitulada “Mergulho Seguro”, a campanha nacional visa prevenir os traumatismos vertebro medulares, provocados por acidentes relacionados com o mergulho.

“Estima-se que 43 por cento dos acidentes de mergulho aconteceram a jovens entre os 10 e os 19 anos e que 73 por cento dos acidentados tinham menos de 29 anos. Sabemos também que é nos meses de julho a setembro que se verifica mais de 90 por cento destas ocorrências”, explica Jorge Mineiro, presidente da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia.

E recomenda: “Os jovens devem conhecer a profundidade do local antes de mergulharem e não devem mergulhar a partir de rochas, margens de lagos ou rios, ou em águas rasas. Se o fizerem podem morrer ou ficar gravemente incapacitados”.

Os traumatismos vertebro medulares apresentam elevadas taxas de morbilidade/mortalidade, particularmente elevada em Portugal face ao panorama europeu. As causas mais comuns são os acidentes por mergulho nas praias e piscinas.

Imprimir