Cardiologistas de Guimarães e Braga apostam na relação com os médicos de família

Há quase 20 anos que cardiologistas de Guimarães e Braga organizam, alternadamente, um evento científico de debate e troca de ideias sobre a Cardiologia atual. Nos próximos dias 28 de fevereiro e 1 de março será no centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, que decorrerão as XX Jornadas de Cardiologia do Minho, X Jornadas de Cardiologia de Guimarães.

As XX Jornadas de Cardiologia do Minho realizam-se nos próximos dias 28 de fevereiro e 1 de março no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães. Desde 1996 que os Serviços de Cardiologia dos Hospitais de Guimarães e Braga cooperam na organização deste evento científico. De entre vários temas, este ano destaca-se a aposta na relação com os médicos de família.

Este evento é já um clássico da cardiologia nacional. Sendo que os objetivos são a formação médica continuada e o debate e partilha de experiências. Mais importante é que não é só entre cardiologistas, envolvemos também internistas e também os médicos de família”, sublinha o cardiologista do Centro Hospitalar do Alto Ave, Augusto Pereira, a quem coube organizar o evento deste ano.

A aposta deste ano foi para temas de cardiologia transversais e de grande atualidade, com destaque para a prevenção cardiovascular, a doença cardiovascular no idoso e a insuficiência cardíaca. Outra aposta no debate será a relação da Cardiologia com a Medicina Geral de Familiar. Segundo Augusto Pereira, “incluir colegas da medicina geral e familiar no programa científico irá permitir um grande envolvimento dos médicos de família, com consequentes vantagens para o debate. A referenciação do doente de forma clara pelo médico de família é essencial para a continuidade dos cuidados dos cardiologistas. O médico de família pode mesmo resolver situações sem necessidade de recorrer às consultas da nossa especialidade. Por exemplo através da prescrição de medicação para a hipertensão ou diabetes no sentido de atingir tratamentos específicos que permitem reduzir os riscos destas doenças."

O responsável do evento acrescenta: "Por outro lado, há cuidados que são iniciados no hospital e que devem ter seguimento com os médicos de família. Resumindo, os cuidados de prevenção são uma relação de continuidade entre os cuidados primários e o hospital. A prevenção é essencial para evitar eventos como enfartes, AVC e outras manifestações agudas de doença cardiovascular”.

Com um limite de 500 participantes, a organização viu-se obrigada a fechar as inscrições logo no final do mês de janeiro, já que estavam completas.

Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda