CHUC recebe encontro nacional sobre o papel da vitamina D na saúde dos portugueses

Promover um debate sobre as necessidades diárias de vitamina D, bem como as estratégias de combate à carência desta vitamina entre a população portuguesa são os principais objetivos do "Fórum D 2015". O evento realiza-se dia 3 de outubro, sábado, no Auditório do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), sendo apresentado como o "primeiro encontro nacional dedicado à discussão científica do papel da vitamina D na manutenção do bem-estar e envelhecimento saudável".

Esta iniciativa vai reunir especialistas de diversas áreas e com variadas competências, mas todos com o interesse comum no estudo científico e na prática clínica das várias dimensões relacionadas com a vitamina D. As interações entre a vitamina D e a doença cardiovascular e entre a vitamina D e o envelhecimento saudável são, por exemplo, temas que serão desenvolvidos, respetivamente, por Manuel Carrageta, presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia, e por Manuel Teixeira Veríssimo, presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI).

Do programa fazem ainda parte outros temas como: "Vitamina D – necessidades diárias: dieta e sol", "Valores normais de vitamina D"; "Carência de Vitamina D – indícios clínicos e laboratoriais", "Vitamina D e Cancro".

Durante o fórum será apresentado o "primeiro website em Portugal exclusivamente dedicado ao tema", tal como é referido em comunicado. Nesta plataforma o utilizador poderá ter acesso a um conjunto de informações sobre a vitamina D, nomeadamente, os efeitos da carência e os benefícios desta vitamina, existindo ainda um espaço para a colocação de dúvidas, que serão respondidas por especialistas.

O défice de vitamina D é um problema que afeta cerca de 1.000 milhões de pessoas em todo o mundo. Além dos benefícios esqueléticos e musculares, a Vitamina D tem um papel modulador da resposta imunitária e na fisiologia cardiometabólica, nomeadamente na prevalência de infeções, na regulação do sistema reninaangiotensina e secreção de insulina, respetivamente.

Para uma tão elevada prevalência do défice contribui o facto de as fontes alimentares de Vitamina D serem escassas (a maioria dos alimentos apresenta conteúdo não significativo de Vitamina D) e a falta de exposição solar, sendo os idosos, mulheres pós-menopausa e as pessoas institucionalizadas populações de risco.


PROGRAMA:

10:00 - 10:45 Vitamina D - Efeitos pleiotrópicos na homeostase fisiológica
Prof.ª Anabela Mota Pinto

10:45 - 11:15 Vitamina D - Necessidades diárias. Fontes: dieta e sol
Prof. Mario Mascarenhas

11:15 - 11:45 Coffee-break

11:45 - 12:15 Valores Normais de Vitamina D
Dr. Daniel Pereira da Silva

12:15 - 12:45 Estado da epidemia e do seu combate
Dr.ª Maria Cabral

12:45 - 13:15 Population-based strategies to prevent and correct Vitamin D deficiency
Professor Christel Lamberg-Allard

Almoço 13:15 - 14:15

14:15 - 15:00 Carência de Vitamina D - indícios clínicos e laboratoriais
Dr.ª Cátia Duarte

15:00 -15:30 Vitamina D e doença cardiovascular - o que sabemos?
Prof. Manuel Carrageta

15:30 - 16:00 Vitamina D e Cancro
Prof. Luis Costa

16:00 - 16:30 Coffee-break

16:30 - 17:15 Vitamina D e envelhecimento saudável
Prof. Manuel Veríssimo

17:15 - 18:00 Estratégias de reposição de vitamina D
Prof. José António P. Silva

18: 00 - 18:15 Proposta de Documento síntese
Prof. José António P. Silva

18:15 - 19:00 Discussão geral
Dr. Rui Nogueira


Contactos:
Plano D
Rua da Vitamina, 5 R/C
1234-567 Lisboa
Telf.: 21 344 44 55
A inscrição pode ser efetuada aqui.

Imprimir