Começa hoje a 5ª Reunião Anual da Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular

Há algumas "importantes inovações" no programa da 5ª Reunião Anual da Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC), refere o presidente da Comissão Científica do evento e secretário-geral da APIC, Marco Costa. É o caso do primeiro Simpósio Ibero-Americano, organizado conjuntamente com as associações homólogas brasileira e espanhola, "com quem pretendemos reforçar relações e planear alguns projetos científicos em comum", salienta.

Também as sessões Live-in-the-box serão uma novidade, afirma Marco Costa, com apresentação de casos clínicos e diferentes técnicas de Cardiologia de Intervenção, por peritos portugueses e estrangeiros, "sempre com uma vertente mais prática e interativa". Estarão disponíveis televoters, para "animar a discussão, que pretendemos que seja acesa e construtiva".

Uma das novidades mais apreciadas no ano anterior, e que será mantida, é a mesa-redonda Update 2014, que “irá dar a conhecer as novidades do ano relativamente às várias áreas da Cardiologia de Intervenção, como sejam os resultados de estudos clínicos, novas recomendações internacionais, apresentação de novos dispositivos e fármacos”.

A 5ª Reunião Anual da Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC) realiza-se em Viseu, no Montebelo Viseu Hotel, e decorre até dia 23 de novembro.

O programa pode ser consultado aqui.

Stent for Life

A APIC, uma associação especializada da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, tem por finalidade "o estudo, investigação e promoção de outras actividades científicas no âmbito dos aspectos médicos, cirúrgicos, tecnológicos e organizacionais da Intervenção Cardiovascular" e é a entidade responsável em Portugal pela dinamização da iniciativa Stent for Life, lançada pela coligação da European Association of Percutaneous Cardiovascular Interventions (EAPCI) e do EuroPCR, em 2009, no Congresso Europeu de Cardiologia.

Esta plataforma reúne cardiologistas de intervenção, representantes dos governos, parceiros da indústria de cateteres e farmacêuticas, grupos e associações de doentes, com vista a assegurarem, indica a APIC, "atempadamente e à grande maioria dos doentes, a melhor terapêutica atual para o enfarte agudo do miocárdio com supradesnivelamento de ST: a angioplastia primária (P-PCI)".

Imprimir