DGS promove debate sobre a cooperação em saúde: «da Estratégia à Ação»

O Instituto Ricardo Jorge recebe, dia 30 de junho, a conferência “Cooperação em Saúde: da Estratégia à Ação”, organizada pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Este evento enquadra-se no âmbito das atividades de desenvolvimento da Agenda de Cooperação em Saúde e no contexto das celebrações do Ano Europeu do Desenvolvimento – 2015. Pretende ser um contributo para "repensar e reposicionar a cooperação portuguesa na cena internacional".

Salienta a DGS que, cerca de uma década após a aprovação do documento "Uma visão estratégica para a cooperação portuguesa" (de 2005), "há agora que equacionar os novos desafios nacionais, bem como a evolução da arquitetura internacional de cooperação, que apresenta novas políticas, atores, instrumentos e recursos".

É ainda explicado que o debate tem, "como ponto de partida", os compromissos assumidos no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), e, mais recentemente, a Agenda para a Mudança da União Europeia, a Parceria Global para uma Cooperação para o Desenvolvimento Eficaz e o Novo Acordo para o Envolvimento Internacional em Estados Frágeis, no âmbito do Comité de Ajuda aos Desenvolvimento (CAD) da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

A sessão de abertura estará a cargo de Francisco George, diretor-geral da Saúde, Ana Paula Laborinho, presidente do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, e Fernando de Almeida, presidente do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Instituto Ricardo Jorge).

"Prioridades da Cooperação em Saúde: desafios e oportunidades" é o tema de umas das quatro sessões do programa. Esta reflexão irá contar com a participação de Fernando de Almeida, presidente do Instituto Ricardo Jorge, Eurico Castro Alves, presidente do INFARMED, Paulo Campos, presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), e Maria Hermínia Cabral, diretora do Programa Gulbenkian Parcerias para o Desenvolvimento, da Fundação Calouste Gulbenkian.

"Estratégia Portuguesa para a Cooperação em Saúde", "Resultados e ações emblemáticas da Cooperação em Saúde" e "A Agenda pós-2015: Desafios para a Cooperação em Saúde" são os temas dos outros painéis.

Na sessão de encerramento irão intervir Fernando Leal da Costa, secretário de Estado adjunto do ministro da Saúde, e Luís Campos Ferreira, secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação

Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda