Estudo nacional vai avaliar as práticas contracetivas das mulheres

Teve hoje início a recolha de dados sobre “Avaliação das práticas contracetivas das mulheres em Portugal”, o maior estudo nacional na área da contraceção, que pretende analisar os hábitos contracetivos da população feminina do país entre os 15 e os 49 anos. A investigação é da iniciativa da Sociedade Portuguesa de Ginecologia (SPG) e da Sociedade Portuguesa da Contracepção (SPDC).

O resultado da avaliação das práticas contracetivas das mulheres em Portugal, que será conhecido em meados de 2015, pretende fazer uma atualização do último inquérito, realizado em 2005, e perceber as alterações das mulheres em relação aos métodos de contraceção utilizados, passados 10 anos.

Fernanda Águas, presidente da SPG, avança que “este é um dos documentos mais importantes e mais citados na área da ginecologia. Os dados de um estudo tão representativo da população feminina são essenciais para perceber o desenvolvimento da relação das mulheres com os métodos contracetivos, de forma a que seja possível a desconstrução de mitos ou alterações de hábitos.”

“Esta atualização de dados é extremamente importante para os profissionais de saúde poderem acompanhar da melhor forma as mulheres portuguesas, tendo em conta a evolução registada na área da contraceção e, assim, encontrar formas cada vez mais adaptadas a este novo contexto”, diz Teresa Bombas, presidente da SPDC.

O estudo vai contar com uma amostra representativa de 4000 mulheres de todas as regiões de Portugal continental e Ilhas. As conclusões serão apresentadas no decorrer do XIII Congresso Português de Ginecologia, que integra as comemorações do 40º aniversário da SPG, e que se realiza de 4 a 6 de junho de 2015, em Espinho.

O estudo é apoiado pela multinacional farmacêutica húngara Gedeon Richter.

Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda