Imunoalergologia: «os pacientes querem ter um papel ativo na sua doença», afirma José Rosado Pinto

De acordo com José Rosado Pinto, coordenador do Serviço de Imunoalergologia do Hospital da Luz, "os pacientes são cada vez mais parceiros do médico, colocam questões, querem ter um papel ativo na sua doença, principalmente quando se está perante uma patologia crónica, como acontece, em regra, na Imunoalergologia.”

O especialista considera que “as mudanças na sociedade têm sido significativas nos últimos anos, existindo uma maior proximidade entre médico e doente, o que exige aos clínicos ter em atenção princípios éticos”.

Este tema vai ser abordado durante as 2º Jornadas de Imunoalergologia do Hospital Beatriz Ângelo, que se realizam no dia 23 de janeiro e que contam com o patrocínio científico da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica. O evento, sob o lema "Do Hospital à Comunidade", decorrerá no auditório desta unidade hospitalar, em Loures, e José Rosado Pinto dará a conhecer um novo Código de Ética da European Academy of Allergology and Clinical Immunology (EAACI), entidade da qual é membro do Comité de Ética. Na sua opinião, à semelhança de qualquer outro profissional de saúde, “o imunoalergologista deve atuar, na prática clínica, em concordância com os princípios e regras bioéticas”.

Em declarações à Just New, o responsável realça a importância deste novo código, que vai ajudar a regular a atividade dos imunoalergologistas, de forma a estarem mais alerta para temáticas essenciais. “É necessário estar sempre atualizado, para se poder ajudar os pacientes a tirar as suas dúvidas – algumas devido a pesquisa na Internet --, além de ter a responsabilidade de dar a conhecer uma abordagem concreta da sua doença.”

A atualização constante é essencial também no caso dos imunoalergologistas que fazem formação e escrevem artigos. “Neste caso, há outra questão a ressalvar que é a do conflito de interesses. Em vários países é já obrigatório dar a conhecer as ligações, nomeadamente à indústria farmacêutica, referindo-as expressamente”, refere José Rosado Pinto. O especialista acredita que, tal como acontece a nível internacional, esta declaração de conflito de interesses deveria estar sempre presente na prática médica em Portugal.



Do programa das 2º Jornadas de Imunoalergologia do Hospital Beatriz Ângelo fazem também parte as mesas redondas "Doença alérgica na criança", "Doença alérgica no adulto" e "Ambiente e comunidade".

A última sessão é dedicada à apresentação de casos clínicos e terá a intervenção de especialistas de Medicina Interna, Pediatria, Dermatologia e Pneumologia.

O programa pode ser consultado aqui.


Secretariado:

Teresa Pires
secretariado.formacao@essaude.pt
A inscrição pode ser efetuada online aqui.

Imprimir


II Jornadas Multidisciplinares de Medicina Geral e Familiar