Infarmed presta esclarecimentos sobre falta de medicamentos em Portugal

O Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde esclareceu hoje, em comunicado, no seguimento de uma notícia publicada no Jornal de Notícias, que "o fenómeno das falhas de medicamentos apresenta uma tendência de diminuição significativa nos últimos 6 meses".

No mesmo documento pode ler-se que "relativamente aos 43 medicamentos referidos como ´sem alternativas terapêuticas`, esclarece-se que estes se reportam a medicamentos que não dispõem de equivalentes (com a mesma substância activa, dosagem e forma farmacêutica). Esta situação não permite concluir contudo, que não existam alternativas terapêuticas comercializadas."

O comunicado recorda que o Infarmed, "sempre que necessário", presta apoio aos profissionais de saúde e aos utentes no sentido de serem identificadas "alternativas (inclusivamente noutros países) que possam colmatar as falhas temporárias existentes."

Sobre os 43 medicamentos em questão, é referido que 2 já se encontram novamente no mercado, 25 dispõem de alternativas terapêuticas e 13 são de uso exclusivo hospitalar. O comunicado termina lamentando "o eventual alarmismo que este tipo de notícia pode provocar na população, o que é contrário a todo o trabalho que este instituto (Infarmed) desenvolve relativamente ao acesso ao medicamento."

O documento pode ser lido na íntegra aqui.

Imprimir