Internistas e nefrologistas debateram ligação da diabetes à doença renal

Novos fármacos e estudos científicos levaram internistas e nefrologistas a reunir-se no Hospital Garcia de Orta (HGO), para debaterem a ligação entre a diabetes e a doença renal.
Estevão Pape, internista e diretor das Consultas Externas do HGO, foi o responsável pela III Reunião Extraordinária do Núcleo de Estudos da Diabetes Mellitus (NEDM) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI), subordinada ao tema “Diabetes e Rim – Olhar o rim na diabetes”.

Estevão Pape recordou que, segundo o estudo DIAMEDINT, promovido pela NEDM, “25 a 30% dos doentes internados nos serviços de Medicina Interna do SNS são diabéticos”. Como a doença renal é uma problemática prevalente, principalmente em quem sofre de diabetes, o internista viu neste encontro a oportunidade de unir esforços para se evitar as complicações major.



“A hemodiálise é uma das principais consequências da nefropatia diabética, logo é preciso estar a par de todas as atualizações, para que se possa prevenir e tratar numa fase precoce, sem comprometer a qualidade de vida das pessoas”, disse o médico à Just News.

Estevão Pape afirmou ainda, ao intervir na sessão de abertura da reunião, que é preciso formar os mais novos em diabetologia, “porque o papel da Medicina Interna na diabetes é fundamental”.



Na mesma mesa de abertura estiveram presentes Maria Francisca Delerue, diretora do Serviço de Medicina Interna do HGO, e Álvaro Coelho, coordenador do NEDM da SPMI. Ambos alertaram para a importância de o internista também ser diabetologista e de os mais novos começarem a ter formação em diabetes desde cedo.







Imprimir