Jornadas de Saúde da Assembleia da República: Deputados sensibilizados para a fibrilhação auricular

A Associação Bate Bate Coração está hoje a promover, no Palácio de S. Bento, um dia de sensibilização para a fibrilhação auricular, no âmbito das Jornadas de Saúde da Assembleia da República.

 “Este dia permite sensibilizar os deputados para a necessidade de desenvolver medidas práticas e imediatas para salvar vidas e reduzir os enormes custos, a incapacidade e mortalidade devidas à fibrilhação auricular não diagnosticada e não tratada”, explica Carlos Morais, presidente da Associação Bate Bate Coração.

Uma das complicações mais graves da fibrilhação auricular é a ocorrência do Acidente Vascular Cerebral (AVC), que “pode ter consequências devastadoras”, alerta a Associação, referindo que cerca de 1/3 dos casos de AVC têm como origem a fibrilhação auricular e os relacionados com esta arritmia são “habitualmente mais graves”.

A fibrilhação auricular é a perturbação do ritmo cardíaco crónica mais frequente, afetando aproximadamente 6 milhões de pessoas na Europa, 8 milhões na China e 2,6 milhões nos Estados Unidos da América. Esta doença é responsável por aproximadamente 15% dos 15 milhões de AVCs que se estima ocorrerem anualmente a nível mundial.

A Associação Bate Bate Coração está também a promover, em Portugal, a assinatura da Carta dos Direitos dos Doentes.

“Este documento pretende dar uma voz única, a nível mundial, a todas as pessoas e famílias que já sofreram com a fibrilhação auricular. O nosso objetivo, em termos globais, é conseguir 1,7 milhões de assinaturas em apoio à Carta e entregá-la depois aos decisores de saúde em todos os países do mundo”, esclarece Carlos Morais.

Podem ser consultadas mais informações sobre a Carta dos Direitos dos Doentes com Fibrilhação Auricular aqui.

Imprimir


Médicos de família assinalam Dia Mundial da Asma 2019 na Sertã