Úlceras por pressão: novas guidelines vão ser apresentadas no Congresso da APTFeridas

Precisamente no mesmo dia em que a European Pressure Ulcer Advisory Panel (EPUAP) dará a conhecer ao mundo as novas guidelines da úlcera por pressão, em Portugal, a Associação Portuguesa de Tratamento de Feridas (APTFeridas) irá divulgá-las no primeiro dia do seu congresso anual, 21 de novembro, em que se assinala o Dia Internacional Contra as Úlceras por Pressão - STOP UPP.

Em declarações à Just News, Paulo Alves, presidente da APTFeridas, levanta um pouco o véu sobre as novas recomendações de prevenção e tratamento de úlcera por pressão, adiantando que uma das novidades é o facto de focarem as populações especiais, nomeadamente a pediátrica e a cirúrgica. Além disso, dão atenção também aos cuidados a ter no domicílio, aspeto que não era abordado nas guidelines anteriores, de 2014.

“Tentou-se procurar evidências em contextos clínicos em que, normalmente, as guidelines são muito genéricas e sugerir recomendações para situações muito concretas”, comenta o professor auxiliar da Universidade Católica Portuguesa. E refere ainda, a título de exemplo, que os materiais de penso são standard, o que implica que quando é necessário usá-los nas crianças é preciso cortá-los.

Paulo Alves recorda que, em 1867, Paget foi o primeiro a escrever sobre úlceras por pressão e aquilo que se devia fazer perante o problema, mas as primeiras recomendações baseadas em evidência científica surgiram apenas em 2009.


Paulo Alves

As guidelines que agora vão ser divulgadas foram desenvolvidas pelo National Pressure Ulcer Advisory Panel (NPUAP), pelo European Pressure Ulcer Advisory Panel (EPUAP), pela Pan Pacific Pressure Injury Alliance (PPPIA) e pela Asian Wound (Healing) Care Association (AWCA).

A apresentação no Congresso da APTFeridas estará a cargo de Amit Gefen, israelita, responsável pela compreensão de novos dados, em termos de etiologia das úlceras por pressão.

“Estas guidelines baseiam-se na evidência clínica que surgiu nos últimos anos e pretendem dar alguma orientação para a prática clínica. O objetivo não é tê-las em papel ou formato digital, mas utilizá-las e implementá-las na prática”, afirma.

Aplicar as guidelines à realidade de cada país

Paulo Alves ressalva que é necessário adaptar as recomendações à realidade socioeconómica de cada país. A título de exemplo, refere que, recentemente, foi publicado um artigo sobre nova evidência dos colchões de pressão alterna em cuidados domiciliários.

“Como em Portugal não temos essa realidade, esta evidência surge para dar orientações de que o ideal seria termos este tipo de superfícies em doentes de risco. Isto não significa que tenhamos a capacidade económica para adquirir aqueles colchões, mas que há evidência que demonstra que aquele é o melhor procedimento”, explica.

“Estamos habituados a pensar que as guidelines obrigam muitas vezes a um custo económico acrescido. No entanto, temos de olhar para as mesmas pensando na prevenção”, diz.

Segundo Paulo Alves, há inúmeros trabalhos sobre o tratamento. Contudo, as indicações clínicas das guidelines apostam na prevenção. Orientam para as intervenções de prevenção, o que vai resultar na menor incidência daquele problema, reduzir os custos associados e aumentar a qualidade de vida.



Pé diabético e infeção do sítio cirúrgico também têm novas recomendações


No Congresso, serão apresentadas também as novas guidelines do pé diabético e da infeção do sítio cirúrgico, ambas lançadas em 2019.

As respeitantes ao pé diabético foram divulgadas em Haia, em maio, e vão ser apresentadas em Portugal por Lázaro Martinez, professor da Universidade Complutense de Madrid e presidente da D-FOOT International.

Para falar sobre as novas guidelines da infeção do sítio cirúrgico no APTFeridas 2019, lançadas em junho passado no Congresso da European Wound Management Association, estará, Karen Ousey, uma das responsáveis pela elaboração das mesmas.

Mais de 1500 participantes esperados no Congresso

O local escolhido para a realização do Congresso APTFeridas, que decorre nos dias 21 e 22 de novembro, volta a ser, à semelhança do que sucedeu em 2018, o Pavilhão Multiusos de Gondomar.

A APTFeridas já se habituou a ter nos seus congressos anuais um número de participantes elevado. Nos últimos anos, a média tem rondado os 1500-2000 participantes e agora não se espera um cenário diferente.

Subordinado ao tema “Produção e Difusão do Conhecimento”, o Congresso contará com a presença e intervenção de palestrantes nacionais e internacionais de reconhecida competência nas áreas da investigação, prevenção e tratamento de feridas.

À semelhança do ano passado, foi concedido ao Congresso APTFeridas o Alto Patrocínio do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir