Médicos devem estar atentos às particularidades do doente idoso

“Todos os médicos, uns mais que outros, devem aprender Geriatria, para saberem lidar com as limitações dos idosos.” Quem o disse foi Manuel Teixeira Veríssimo, presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, em conversa com a Just News, no âmbito do 35.º Congresso Português de Geriatria/16.º Congresso Português de Gerontologia Social.

O especialista sublinha que as doenças dos idosos são diferentes e têm outras particularidades que é preciso ter em conta: “Os idosos têm diminuições funcionais dos aparelhos. O rim e o pulmão, por exemplo, têm algum grau de insuficiência, logo, a sua resposta ao tratamento de certas doenças é mais lenta e limitada.”

No seu entender, a abordagem que deve ser dada ao doente idoso encaixa-se perfeitamente na visão holística da Medicina Interna. “Cada vez temos mais idosos, portanto, a doença crónica está a aumentar. Isto quer dizer que há vários aparelhos envolvidos e diversas doenças em simultâneo, o que se encaixa perfeitamente nos objetivos da Medicina Interna, uma especialidade que se preocupa com todo o organismo, com o conjunto dos aparelhos a funcionar no seu todo.”

Por outro lado, segundo Manuel Teixeira Veríssimo, as pessoas idosas têm também problemas sociais e, muitas vezes, as suas doenças e o tratamento das mesmas também podem estar dependentes do apoio que lhes é dado, do ponto de vista social e também funcional.  

O 35.º Congresso Português de Geriatria e o 16.º Congresso Português de Gerontologia Social têm estado a decorrer em simultâneo, em Lisboa.

Imprimir