Na área cardiovascular, existe «grande proliferação de material científico»

“O excesso de informação traduz-se em ruído”, afirma Carlos Canhota, médico de família e coordenador do Núcleo de Doenças Cardiovasculares da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), acrescentando que, na área cardiovascular, como em muitas outras, existe uma grande proliferação de material científico, nem sempre sendo fácil diferenciar os que, de facto, têm “robustez científica”.

Em entrevista à LIVE Cardiovascular, Carlos Canhota explica que a reflexão com o Núcleo e o convívio com os cardiologistas pode ajudar os especialistas em MGF a melhorar o discernimento no que respeita à qualidade da produção científica que se vai produzindo, a pôr em prática os novos conhecimentos no âmbito dos cuidados de saúde primários e a adotar perfis profissionais à realidade que se apresenta.

“Na Medicina Familiar, apesar de sermos todos generalistas e termos de lidar com problemas muito variados, abrangendo todos os grupos etários e géneros, existe sempre, em cada de um nós, um interesse suplementar por alguma área específica, surgindo assim os grupos”, indica.

Foi por esta razão que nasceu, há pouco mais de 10 anos, sob a coordenação de Carlos Canhota, o Núcleo de Doenças Cardiovasculares da APMGF. Lembrando como tudo começou, refere: “Tal como todos os colegas que participam no Núcleo, desde o início que o faço por ‘carolice’. Como é óbvio, trata-se de uma atividade não remunerada. No entanto, todos temos a vontade comum de, tanto quanto possível, estarmos atualizados nesta área imensamente vasta como é a das doenças cardiovasculares.”

Para ir ao encontro do seu grande objetivo, o Núcleo de Doenças Cardiovasculares da APMGF desenvolve uma série de atividades que se prendem fundamentalmente com a área formativa, participando nas escolas da APMCG com cursos temáticos, nos congressos, encontros e outros eventos organizados ou patrocinados pela associação.



A entrevista completa com Carlos Canhota pode ser lida na atual edição de LIVE Cardiovascular.

Imprimir