Nova terapêutica na prevenção do AVC em doentes com fibrilhação auricular com comparticipação

A Bristol-Myers Squibb e a Pfizer anunciaram que o Ministério da Saúde comparticipou o apixabano para prevenção do acidente vascular cerebral e embolismo sistémico em doentes adultos com fibrilhação auricular não valvular, com um ou mais fatores de risco, e para prevenção de acontecimentos tromboembólicos venosos em doentes adultos que foram submetidos a artroplastia eletiva da anca ou joelho.

O apixabano representa uma nova opção terapêutica na prevenção do AVC em doentes com fibrilhação auricular, com evidência de superioridade na eficácia, segurança e na redução da mortalidade total, suportada por um dos maiores programas de investigação clínica em anticoagulação. A comercialização efetiva terá início a 1 de Agosto.

O apixabano atua como inibidor direto do fator Xa, uma proteína chave da coagulação sanguínea. Desta forma, previne a ocorrência de eventos tromboembólicos e a coagulação do sangue. Não requer a monitorização do Rácio Normalizado Internacional (INR) e não são conhecidas restrições dietéticas, podendo ser tomado com ou sem alimentos.

Imprimir