Os meios de diagnóstico in vitro "asseguram a sustentabilidade do sistema de saúde"

Na sequência da divulgação dos resultados do Estudo de Caracterização do Setor do Diagnóstico in Vitro (análises clínicas) em Portugal, Antónia Nascimento, representante da Comissão de Diagnósticos In Vitro da Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (APIFARMA), deu uma entrevista ao Jornal Médico, considerando, nomeadamente, que “os meios de diagnóstico in vitro asseguram a sustentabilidade do sistema de saúde, sem diminuir a qualidade dos seus serviços”.

O principal objetivo do Estudo de Caracterização do Setor do Diagnóstico in Vitro em Portugal foi o de "conhecer com maior detalhe a área de atividade das empresas farmacêuticas dedicadas ao diagnóstico laboratorial e as alterações registadas nos últimos 3 anos", refere Antónia Nascimento, acrescentando: "É consensual que os Meios de Diagnóstico in Vitro (MDiV) constituem um investimento valioso para os sistemas de Saúde devido à informação que fornecem, tanto sobre a predisposição para determinadas doenças como sobre o estado de saúde e evolução do tratamento de cada doente."

Estima-se que 60 a 70% das decisões clínicas sejam tomadas tendo por base os resultados dos testes de diagnóstico in vitro. De acordo com Antónia Nascimento, "este é um ponto capital do Valor Diagnóstico In Vitro, como instrumento imprescindível à Saúde. O peso que a informação de qualidade fornecida pelos DiV representa na tomada da decisão clínica mais correta para um dado doente revela que, em benefício desse doente, não é possível prescindir ou cortar num instrumento tão vital."

A representante da Comissão de Diagnósticos In Vitro da APIFARMA refere, ainda sobre os benefícios para o doente, que "ao permitir uma tomada de decisão clínica atempada, e o mais adequada a um dado doente, os DiV contribuem de forma clara para um efeito de redução das despesas globais de saúde a médio e longo prazo, evitando, por exemplo, tratamentos desnecessários ou ineficazes para o doente e mais onerosos para os serviços de saúde. Assegura-se assim, além de um melhor cuidado do doente, uma aplicação racional dos recursos."


O primeiro Estudo de Caracterização do Setor do Diagnóstico in Vitro foi apresentado no dia 14 de março, na APIFARMA.

Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda