Portugal «ainda está atrasado» na monitorização da função respiratória

Segundo Mário Morais de Almeida, diretor do Centro de Alergia dos Hospitais e Clínicas CUF Lisboa, Portugal "ainda está atrasado" na monitorização da função respiratória. O especialista falava à margem do 3.º Simpósio Internacional de Função Respiratória, que decorreu hoje na Fundação Calouste Gulbenkian.

Mário Morais de Almeida referiu também, em declarações à Just News, que "existe pouca oferta deste tipo de exames e os clínicos ainda não têm o hábito de os pedir".



Outra questão prende-se com a interpretação dos relatórios. “A formação dos profissionais melhorou nos últimos tempos, mas ainda é preciso um forte investimento para que tanto os imunoalergologistas como os pneumologistas e médicos de Medicina Geral e Familiar possam aumentar as suas competências para interpretar os relatórios.”



No evento, falou-se ainda da importância de uma rede de espirometria, para que mais portugueses tenham acesso a este teste, que deve ser realizado por cardiopneumologistas. “São estes os profissionais de saúde que têm a formação necessária para realizar este tipo de exames, é preciso dar-lhes mais atenção.”



Na sessão de abertura intervieram Elisa Pedro, vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), Venceslau Hespanhol, presidente da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP), Rui Costa, coordenador do GRESP - Grupo de Estudos de Doenças Respiratórias - Medicina Geral e Familiar, e Ana Cristina Henriques, da Direção da Associação Portuguesa de Cardiopneumologistas (APTEC).


Mário Morais de Almeida e Luís Miguel Borrego.

O convidado estrangeiro deste ano foi Martin Miller, da Universidade de Birmingham, Reino Unido, e a coordenação do simpósio foi, mais uma vez, da responsabilidade de Mário Morais de Almeida e de Luís Miguel Borrego, imunoalergologista do Hospital CUF Descobertas. A organização da reunião esteve a cargo do Centro de Alergia do Hospital CUF Descobertas, tendo contado com o apoio da AstraZeneca.






Imprimir



Siga-nos no Linkedin

Post Linkedin Hospital Público