Portugal entre os países da Europa mais orientados para os CSP

Portugal é dos países europeus mais orientados para os cuidados de saúde primários (CSP), a par com Espanha, Inglaterra, Holanda, Dinamarca e Finlândia. Quem o disse foi Luís Pisco, vice-presidente do Conselho Diretivo da ARSLVT - enquanto fazia referência a um estudo holandês que avaliou os CSP em 31 países -, durante a sua intervenção no âmbito das comemorações dos 35 anos do Serviço Nacional de Saúde.

“Portugal está numa boa situação, precisa, porém, de fazer duas coisas: atualizar, avaliar e melhorar o que tem, no que respeita aos CSP, e dar à totalidade da população mais acesso aos bons cuidados já prestados a cerca de 50%”, refere, salientando que é, também, importante investir mais em prevenção e promoção da saúde.

E continua: “Só assim podemos reduzir custos com doenças evitáveis. Quando olhamos para os dados da OCDE vemos que muitas despesas, como por exemplo com a asma, a diabetes, entre outras, seriam evitadas se tivéssemos apostado em CSP. Há que reforçar o investimento nesta área, como uma solução para o problema.”

Na sua opinião, as nossas prioridades para o futuro passam por aumentar a acessibilidade, nomeadamente em casos de doença aguda, apostar na prevenção, melhorar a gestão da doença crónica, apoiar a integração e a prestação de cuidados multidisciplinares e selecionar a evidência disponível para a prestação efetiva de cuidados de qualidade.

Na cerimónia, que se realizou, esta segunda-feira, no Auditório da Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, estiveram também presentes Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro, Francisco George, diretor-geral da Saúde, Jorge Sampaio, ex-Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ex-líder do PSD, entre outros.

Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda