My Servier

Boas práticas emocionais na USF Gualtar: «um projeto a ser replicado em outras unidades»

O certificado do Programa das Boas Práticas Emocionais foi entregue em junho à USF Gualtar e a experiência publicamente partilhada no 12.º Encontro Nacional das USF, mas o projeto arrancou muito antes, em setembro de 2019, conforme explica Cláudia Melo, coordenadora da unidade que integra o ACES Cávado I Braga.

A médica recorda que o processo começou antes da pandemia e se, nessa altura, já fazia tanto sentido este investimento e formação, os desafios que se sucederam só reforçaram a importância deste programa: "Sem saber, preparou-nos também para os enormes desafios que a pandemia trouxe."

Humanização de cuidados: um projeto a replicar

Na sua opinião, a apresentação do projeto durante o 12.º Encontro Nacional das USF, no âmbito de uma mesa dedicada às Boas Práticas Emocionais e Humanização de Cuidados, foi particularmente relevante "pela importância que reconheceu ao tema da prevenção do burnout e da humanização dos cuidados".

À Just News a equipa reconhece que foi com "muita alegria" que puderam partilhar a sua experiência com um Programa de Boas Práticas Emocionais junto de colegas de unidades de cuidados primários de todo o país, considerando ser "um projeto que fará sentido ser replicado em outras unidades".


A coordenadora da USF Gualtar e a responsável pela Academia de Fitness Emocional com a equipa que implementou o projeto: Cristiana Sousa, Susana Oliveira, Ana Raquel Veloso, Cristiana Sousa Lopes e Cláudia Melo

Gestão emocional de todos os colaboradores

Na apresentação do Programa durante o 12.º Encontro das USF, Cristiana Sousa Lopes, enfermeira na unidade, lembrou que tudo começou quando, em setembro de 2019, o Ministério da Saúde anunciou o apoio à implementação de projetos dedicados à Humanização dos Cuidados:

"Foi nessa altura que a USF Gualtar decidiu participar num programa de formação visionário, que tinha como objetivo investir no desenvolvimento de competências de gestão emocional de todos os colaboradores da USF, melhorando dessa forma os cuidados prestados ao utente".

Já Susana Oliveira, médica de família, apresentou os dados do impacto do projeto na reunião, tendo dado destaque à "satisfação e impacto positivo do mesmo na maioria dos colaboradores".

Sublinhou que os temas das diferentes sessões do programa foram escolhidos "com base numa avaliação prévia à equipa" e versaram sobre temas como: Gestão Emocional, Comunicação Eficiente, Estilos de Liderança, Trabalho em Equipa e Produtividade, Eficácia na Tomada de Decisões, Autoconhecimento e Excelência Pessoal, Inteligência Emocional e Burnout.

De modo a garantir a continuidade da aplicação das Boas Práticas Emocionais por parte de todos os profissionais, foi esclarecido a todos os colegas das USF presentes no Encontro que o Programa de Boas Práticas Emocionais prevê a renovação anual, tendo como objetivos principais: "promover um ambiente de trabalho mais produtivo e eficiente; aumentar a motivação e satisfação no trabalho; ajudar a manter a equipa feliz e, dessa forma, garantir melhores cuidados ao utente."

Literacia emocional com os utentes

Cristiana Sousa fez questão de abordar outra vertente do Programa, que "motivou a equipa a trabalhar a literacia emocional com os utentes, contribuindo para uma relação mais humanizada na prestação de cuidados e que assenta na capacidade de verdadeira empatia pelo outro".

A médica de família descreveu o trabalho que desenvolveram, "aproveitando os canais próprios de comunicação (newsletter, site, facebook e mais recentemente instagram)."

Mostrou igualmente como a estratégia de comunicação delineada e a temática das boas práticas emocionais "despertou o interesse de parceiros e de outras equipas de todo o país, que nos contactaram para saber que projeto estávamos a desenvolver."

Também Raquel Veloso, da Academia de Fitness Emocional, deu o seu testemunho: “Quando falamos de Humanização importa não esquecer o principal – o Humano”, em que o Programa de Boas Práticas Emocionais visa, precisamente, capacitar o humano para uma vida pessoal e profissional emocionalmente mais equilibrada e saudável, o que se traduz numa melhoria da relação com o próprio e o outro."

Para a coordenadora da USF Gualtar, Cláudia Melo, não resta qualquer dúvida: "Evitar o burnout e manter o autocuidado passou a ser uma prioridade estratégica depois deste programa." E, nesse sentido, toda a equipa assume o compromisso de renovar o programa anualmente.



Notícia publicada no Jornal Médico dos cuidados de saúde primários de outubro, no âmbito de um Especial dedicado ao 12.º Encontro Nacional das USF.

Dirigida a profissionais de saúde e distribuída em todas as unidades de saúde familiar (USF) do país, esta publicação da Just News tem como missão a partilha de boas práticas, de boas ideias e de projetos de excelência desenvolvidos no âmbito dos cuidados de saúde primários, facilitando a sua replicação no SNS.  

 

seg.
ter.
qua.
qui.
sex.
sáb.
dom.

Digite o termo que deseja pesquisar no campo abaixo:

Eventos do dia 24/12/2017:

Imprimir


Próximos eventos

Ver Agenda