Rede apoia nutricionistas fora de Portugal

A Rede Internacional de Apoio ao Nutricionista (RIAN), da Associação Portuguesa de Nutricionistas (APN), existe para ajudar quem quer exercer a profissão no estrangeiro. Os recém-licenciados são os que mais procuram a ajuda da Rede, segundo Nuno Palas, membro da Direção da APN e responsável pela RIAN. 

“A nossa atividade tem crescido e, através de contactos com colegas de outros países, damos apoio aos nutricionistas portugueses, nossos associados, que querem ir para fora de Portugal por determinado período de tempo”, refere à Just News Nuno Palas.

A RIAN, que existe desde finais de 2012, dá ajuda a vários níveis. Informa, por exemplo, sobre os procedimentos locais que permitem o exercício legal da profissão, questões salariais, condições de trabalho, contactos locais, “mas principalmente colocando colegas em contacto, os que já se encontram no estrangeiro com os que para lá querem ir”.

A procura deste apoio tem aumentado, mas não se pense em números elevados. “Não esqueçamos que em Portugal existe uma boa empregabilidade em Nutrição… Estamos a falar de seis contactos em agosto de 2013 e de 15 em julho de 2014, um aumento de cerca de 100%”, explica Nuno Palas. O responsável refere que os países com que existe colaboração, até agora, são Inglaterra, Moçambique, Angola, Cabo Verde, Nova Zelândia, Brasil, Alemanha e Suíça.

As razões que levam estes profissionais a procurar emprego fora de Portugal ainda não é conhecida. “Pretendemos, com o avançar da Rede, analisar o que impele os recém-licenciados em Ciências da Nutrição ou nutricionistas portugueses a partir para outros países. Pode ser porque acham que as condições são mais promissoras, ou por ser uma forma de experiência diferente, enriquecedora da sua nota curricular…”

Quanto ao futuro, Nuno Palas acredita que a RIAN não vai parar de crescer, como se tem verificado desde a sua criação.

Imprimir