Retoma da atividade assistencial: Hospital de Ovar avança com «nova normalidade»

É já dia 11 de maio que o Hospital Dr. Francisco Zagalo - Ovar (HFZ-Ovar) da início à retoma da atividade assistencial, "suspensa desde 14 de março para dar resposta às necessidades decorrentes da pandemia".

A unidade hospitalar, liderada por Luís Miguel Ferreira, presidente do Conselho Diretivo, assegura que estará preparada para retomar uma "nova normalidade", reativando a consulta externa, hospital de dia e os Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica.

“Estamos a criar condições que permitam garantir a segurança para profissionais e utentes, assegurando-se um correto distanciamento social, atendendo ao espaço físico disponível. Para tal, tivemos de organizar os diferentes espaços, redefinir os circuitos, fluxos e procedimentos necessários a uma retoma segura para todos”, explica Luís Miguel Ferreira.

Entre as medidas previstas, alinhadas com o conjunto de estratégias a adotar neste período pelas instituições de saúde à escala nacional, o HFZ-Ovar destaca a diminuição do tempo dos utentes no serviço, as consultas e os atos com hora marcada, o desfasamento de horários e definição de distâncias de segurança nas salas de espera reduzidas ao mínimo indispensável.


Luís Miguel Ferreira (ao centro) com outros profissionais no Hospital de campanha de Ovar

É também adiantado que na entrada dos edifício será feito inquérito ao estado de saúde e medição da temperatura corporal, podendo os utentes entrar no espaço do hospital poucos minutos antes da hora da marcação da consulta ou exame.

“São enormes as restrições que todos estamos a prever para esta retoma da atividade não Covid, que será concretizada de forma gradual e faseada, em função do contexto epidemiológico específico da unidade de saúde, como, aliás, recomenda a tutela”, sublinha Luís Miguel Ferreira.

De acordo com o responsável, as características do HFZ - Ovar tornam este processo de abertura particularmente desafiante: “No nosso hospital, com espaços muito limitados, torna-se mais difícil e exigente esta definição segura dos circuitos, pelo que a prudência será a palavra de ordem, ainda que estejamos certos que há muitos utentes a precisar destas respostas que agora iremos retomar."

A reprogramação da atividade cirúrgica está prevista para o próximo dia 1 de junho (nas especialidades de Otorrinolaringologia, Cirurgia geral, Oftalmologia, Ortopedia e Urologia), ainda que “bastante condicionada pelo perfil do hospital e das condições dos serviços cirúrgicos e Bloco Operatório atuais”, acrescenta Luís Miguel Ferreira.

Refira-se ainda que no contexto da retoma da atividade assistencial foi montado no parque de estacionamento, esta semana, um contentor técnico cedido pelos Bombeiros de Esmoriz, devidamente apetrechado, onde é efetuada a consulta de triagem Covid-19 para pessoas referenciadas pela equipa ADC/CSP e Saúde Pública.

Imprimir