Reunião do CHLN transmite ao vivo técnica de encerramento do apêndice auricular esquerdo

Para “tentar desmistificar a complexidade da técnica de encerramento do apêndice auricular esquerdo”, utilizada para profilaxia de eventos tromboembólicos na fibrilhação auricular, durante a reunião "New Frontiers in Cardiology – Focus on LAA Closure", que se realiza esta 6.ª feira, será feita a transmissão de dois casos ao vivo. A explicação é dada por Eduardo Infante de Oliveira, um dos três diretores do evento.

Segundo o cardiologista de intervenção do Hospital de Santa Maria/CHLN, a transmissão dos casos dará também a “oportunidade para observar a metodologia utilizada por experts internacionais de referência”.

Os casos serão realizados no Hospital de Santa Maria por especialistas nacionais e estrangeiros, sendo as imagens passadas ao vivo para a Aula Magna da Faculdade de Medicina de Lisboa, com a hipótese dos moderadores e do público poderem questionar os operadores sobre os diferentes passos da técnica.

Durante o evento, presidido por Fausto Pinto, diretor do Serviço de Cardiologia do CHLN, será feita também uma abordagem de questões essenciais da fibrilhação auricular (FA), assim como de aspetos de decisão clínica, nomeadamente como decidir aplicar a técnica do encerramento do apêndice auricular esquerdo ou instituir terapia anticoagulante em doentes com FA para prevenir eventos tromboembólicos, nomeadamente o AVC.

Finalmente, terá lugar uma mesa sobre imagem que, de acordo com Eduardo Infante de Oliveira, “é extremamente importante para a correta avaliação da anatomia”, no sentido de perceber se o doente é ou não um bom candidato a uma técnica de encerramento.

O programa da reunião "New Frontiers in Cardiology – Focus on LAA Closure" pode ser consultado aqui.

Imprimir