Jornal Médico 33 - fevereiro 2016

A criação de consultas autónomas de diabetes é um dos principais pilares das Unidades Coordenadoras Funcionais da Diabetes (UCFD). No ACES Estuário do Tejo, os indicadores de saúde relacionados com a doença têm melhorado com a dinamização destas consultas. Como é habitual, são entrevistados vários responsáveis desta UCFD, que salientam que a aquisição de mais equipamento/consumíveis seria “uma mais-valia para a manutenção dos mesmos, evitando as complicações, como o pé diabético”.

Ao fim de quase dez anos de atividade, a USF Condeixa, em Condeixa-a-Nova (Coimbra), obteve a acreditação, sendo esta unidade de saúde familiar tema de reportagem. Para José Miguel Conceição, o coordenador, esta conquista era “há muito desejada por toda a equipa, uma forma de ver o nosso trabalho reconhecido, confirmando-se a qualidade dos serviços prestados à população”. 

Além de um Dossier sobre Reumatologia, que conta com a colaboração da Sociedade Portuguesa de Reumatologia e de vários outros especialistas, são entrevistados vários profissionais e responsáveis de eventos, sociedades e entidades. É o caso de Fernando Almeida, presidente do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), que afirma: “Não podemos fazer medicina, nem diagnósticos, a partir de folhas de Excell. Temos que olhar para as pessoas, entendê-las e perceber que, em torno do doente, há um mundo”.

Já Rui Nogueira, presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), sublinha a importância do 33.º Encontro Nacional de Medicina Geral e Familiar, onde são esperados cerca de um milhar de participantes, “pretende refletir sobre os desafios e as oportunidades para a MGF, para o sistema de saúde português e para o bem-estar da população em 2020”.

Esta edição do Jornal Médico inclui ainda um Suplemento inteiramente dedicado ao 90.º aniversário da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP).

Imprimir


Médicos de família assinalam Dia Mundial da Asma 2019 na Sertã