Jornal Médico 33 - fevereiro 2016

A criação de consultas autónomas de diabetes é um dos principais pilares das Unidades Coordenadoras Funcionais da Diabetes (UCFD). No ACES Estuário do Tejo, os indicadores de saúde relacionados com a doença têm melhorado com a dinamização destas consultas. Como é habitual, são entrevistados vários responsáveis desta UCFD, que salientam que a aquisição de mais equipamento/consumíveis seria “uma mais-valia para a manutenção dos mesmos, evitando as complicações, como o pé diabético”.

Ao fim de quase dez anos de atividade, a USF Condeixa, em Condeixa-a-Nova (Coimbra), obteve a acreditação, sendo esta unidade de saúde familiar tema de reportagem. Para José Miguel Conceição, o coordenador, esta conquista era “há muito desejada por toda a equipa, uma forma de ver o nosso trabalho reconhecido, confirmando-se a qualidade dos serviços prestados à população”. 

Além de um Dossier sobre Reumatologia, que conta com a colaboração da Sociedade Portuguesa de Reumatologia e de vários outros especialistas, são entrevistados vários profissionais e responsáveis de eventos, sociedades e entidades. É o caso de Fernando Almeida, presidente do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), que afirma: “Não podemos fazer medicina, nem diagnósticos, a partir de folhas de Excell. Temos que olhar para as pessoas, entendê-las e perceber que, em torno do doente, há um mundo”.

Já Rui Nogueira, presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), sublinha a importância do 33.º Encontro Nacional de Medicina Geral e Familiar, onde são esperados cerca de um milhar de participantes, “pretende refletir sobre os desafios e as oportunidades para a MGF, para o sistema de saúde português e para o bem-estar da população em 2020”.

Esta edição do Jornal Médico inclui ainda um Suplemento inteiramente dedicado ao 90.º aniversário da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP).

Imprimir