Medicina da Reprodução: Agostinho Almeida Santos «era um exemplo de proatividade»

Foi com “profundo pesar” que a Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução (SPMR) tomou conhecimento da morte de Agostinho Almeida Santos, um dos percursores da Medicina da Reprodução em Portugal. Em declarações à Just News, Pedro Xavier, presidente da SPMR, afirma que o professor catedrático era “uma imagem do exemplo da proatividade que um médico deve ter na promoção científica”.

"O Prof. Agostinho Almeida Santos é uma referência na Medicina da Reprodução, não apenas por ter sido fundador e primeiro presidente da SPMR, mas por toda a dinâmica que colocou nesta área da medicina e na própria Sociedade", menciona, fazendo questão de destacar o “respeito e o prestígio” que o médico merece.


Pedro Xavier,

Na opinião do presidente da SPMR, a figura do médico e professor catedrático de Ginecologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) é “incontornável” quando se fala em SPMR e em Medicina da Reprodução.

Entre outros feitos, Agostinho Almeida Santos promoveu o nascimento do primeiro bebé através da técnica GIFT (Transferência de Gâmetas para a Trompa), em junho de 1988.

Foi também fundador do programa de reprodução medicamente assistida, que funciona nos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC)/Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), desde 1985.

Presidiu ao Conselho de Administração dos HUC entre 2005 e 2007 e, em 2009, foi designado cônsul honorário de Cabo Verde para a Região Centro, depois de diversos anos de trabalho de cooperação com este país africano, na área da medicina materno-infantil e na formação de internos em Obstetrícia.


Teresa Almeida Santos com o seu pai, Agostinho Almeida Santos

A paixão pela Medicina da Reprodução foi transmitida a uma das suas quatro filhas, Teresa Almeida Santos, antecessora de Pedro Xavier no cargo de presidente da SPMR, que assumiu por dois mandatos e diretora do Serviço de Medicina da Reprodução dos HUC.

Imprimir